fbpx

MRP: Um Mecanismo de Proteção da Bolsa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Apesar de maduro, ainda há certas coisas no mercado de capitais brasileiro que são pouco conhecidas pelos investidores. Uma delas é o Mecanismo de Proteção da B3 (Bolsa de Valores) denominado, MRP!

O que é MRP?

O MRP (ou Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos) é uma ferramenta de indenização da Bolsa que possibilita aos investidores o ressarcimento de até R$120 mil por ocorrência, decorrentes de prejuízos causados pela ação ou omissão dos participantes do mercado (corretoras, administradoras, bancos etc). Seja em operações realizadas na bolsa ou aos serviços de custódia.

Em uma singela analogia, assim como o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) está para a renda-fixa, o MRP está para a renda variável.

Esse mecanismo de proteção cobre, ainda, prejuízos resultantes de um regime especial — intervenção ou liquidação extrajudicial —  da instituição.

O ressarcimento pode ser solicitado quando, por exemplo:

  • A corretora encerra suas atividades;
  • A corretora não executa uma ordem ou é infiel a mesma;
  • Há um uso inadequado de numerário, de títulos e de valores mobiliários ou outros ativos, inclusive em relação a operações de financiamento ou de empréstimo;
  • São entregues ao investidor de valores mobiliários outros ativos ilegítimos ou de circulação restrita;

Vale ressaltar que transações feitas em mercado de balcão — aquele onde são negociados ativos que não possuem autorização para serem negociados na Bolsa — não contam com o MRP, tampouco prejuízos derivados de oscilações de preços, que faz parte dos riscos inerentes a qualquer investimento no mercado de ações.

Como solicitar o ressarcimento?

Antes de mais nada, o mais aconselhável é primeiro entrar em contato com a corretora para tentar solucionar o problema.

Caso não consiga, você pode acionar a BM&FBovespa por meio do Ombudsman — uma espécie de “Procon” do(a) investidor(a) — responsável pela comunicação com o público para atender queixas e intermediar conflitos.

Se ainda assim o problema não for resolvido, você deve apresentar uma reclamação.

Conforme informa a própria B3:

“Os investidores que se sentirem lesados pela corretora, distribuidora ou banco que administra seus investimentos podem apresentar seu pedido de ressarcimento para análise e julgamento pela BSM (Bovespa Supervisão de Mercados), entidade responsável pela administração do MRP.”

As reclamações devem ser apresentadas em até 18 meses após a data do fato gerador do prejuízo. Não é necessário ter advogado e não há cobrança de taxas.

O pedido de ressarcimento deve ser encaminhado a BSM por escrito, assinado e registrado em cartório, contendo informações sobre a instituição causadora do prejuízo (ou dos responsáveis por ela), o fato que o gerou, o valor e a opção de recebimento dos recursos.

Além disso, se o reclamante for pessoa física é necessário enviar documentos como identidade e CPF. Se pessoa jurídica, será razão social, CNPJ etc.

 Mais detalhes você encontra no Novo Regulamento do MRP.

No caso do pedido ser julgado procedente, você será ressarcido até o limite de R$ 120 mil. Caso negado, o(a) investidor(a) reclamante poderá recorrer da decisão junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A seguir você verá um fluxograma de como funciona o processo (internamente) do MRP:

P.S: Curtiu o artigo? Deixe um comentário, compartilhe com os amigos, familiares etc, e permita que mais pessoas tenham acesso à essa informação. Elas ficarão felizes em saber que você lembrou delas.

P.P.S: Se tiver dúvidas ou alguma informação para complementar, diga nos comentários também. Colabore para enriquecer ainda mais o artigo.

relatorios-450x450

Quer ganhar um Relatório de Valuation?

Criamos Relatórios exclusivos para nossos alunos.
Decidimos liberar alguns deles de graça.
Sem pegadinhas. É só clicar e receber.

Você gosta de ler?

Você pode aprender
Valuation em 10 horas.

Ou continuar comprando ações sem saber quanto elas valem. A escolha é sua.

Gutenberg N.

Eu já acompanho e admiro o trabalho de vocês há um tempo e ontem resolvi adquirir o curso depois de ouvir falar tanto dele (e por gostar tanto dos relatórios). Nem imaginava que ainda teria alguns bônus como esse. Parabéns 👊

15h45, 3 de Abril

Ronaldo U.

O curso eh muito objetivo e pratico. O aluno aprende os critérios e as questões relevantes para se fazer o valuation de uma empresa. A partir daí pesa por conta própria e se torna apto a elaborar suas analises e a questionar analises de terceiros.

10h32, 28 de Maio

Daniel U.

galera, o curso vale muito a pena... olha que estudo valuation e analise fundamentalista a pelo menos 3 anos, desde 2017, mas sempre tive umas dificuldades, entendi bem mais com o curso dos caras

9H31, 18 de Fevereiro

Rafael A.

Só passando pra dar um feedback em relação ao curso, MUITO BOM! Ele é bem didático e objetivo, não tem enrolação e isso pesa muito a favor do curso, porque se aprende melhor e mais rápido.

15h26, 13 de Abril

Cleyton F.

O curso é excelente, não tem como se arrepender! Linguagem super fácil, para leigos como a gente. Explica muito detalhadamente e o diferencial é poder ver sempre que quer igual agora [durante a crise] :)

17h57, 20 de Março

Ricardo M.

O curso de valuation do EduFinance a meu ver se parece muito com aquela empresa que a gente encontra um valor justo de R$20,00 por ação e ela tá sendo negociada no mercado à vista por R$4,00. Uma baita oportunidade!!

20h05, 17 de Abril

Paulo B.

Uma amiga diz que o único investimento que não tem risco algum é o estudo. Esse curso de Valuation me ajudou muito em ter um olhar crítico e saber se e quando uma empresa merece a nossa atenção e nosso capital para o futuro!

21h49, 14 de Abril

Niels T.

Já fiz vários cursos de valuation e o curso do edufinance foi de longe o melhor. Eles conseguiram colocar conceitos que a priori parecem complexos de uma forma muito clara e fácil de entender.

10h44, 16 de Fevereiro

Mateus M.

Fazer o curso foi muito importante para mim como investidor. Me deu a confiança necessária, junto com muito estudo, para escolher boas empresas na hora de alocar meu dinheiro em bolsa. Antes do curso eu acreditava que fazer um bom valuation era um bicho de sete cabeças, mas eles provaram o contrário.

12h51, 12 de Março

Marina C.

As aulas são muito práticas e objetivas. O Leandro faz o tema ficar muito fácil e compreensível pra todo mundo. Até pra quem é iniciante e não sabe nada de mercado financeiro.

11h32, 21 de Fevereiro

Lucas V.

Já li diversos livros sobre o assunto e também fiz alguns cursos, mesmo assim o Edufinance me impressionou com a boa didática e a atenção dada aos alunos o tempo todo. Acho o curso um excelente investimento para todos que querem se aprimorar como investidores.

16h49, 11 de Abril

Guilherme F.

O passo a passo, a receita de bolo do valuation!!!

18h04, 20 de Abril

Gabriel L.

Excelente! Completo e mais didático que qualquer livro no mercado! Recomendo pra qualquer um que tenha interesse em análise de empresas.

09h16, 03 de Janeiro

Bernardo A.

O curso é excelente, a didática e a objetividade usada pra explicar o assunto possibilita uma compreensão sobre o tema de forma rápida e eficiente. Até para pessoas com pouco conhecimento no assunto como eu. Já sinto uma enorme evolução e o principal: confiante pra analisar empresas.

15h15, 28 de Fevereiro