“Não vale a pena economizar. Quando acabar a faculdade eu estarei ganhando bem e poderei poupar mais.”

“Com o salário que eu ganho atualmente é impossível juntar dinheiro.”

“Só se vive uma vez. Não vou me privar das coisas boas da vida.”

Provavelmente esses são alguns dos pensamentos que passam pela sua cabeça quando alguém tenta te convencer a poupar dinheiro. 

Você não está totalmente errado ao pensar assim. 

Afinal, você nunca mais terá a idade que tem agora. Não se prive das coisas boas da vida por dinheiro. Definitivamente, não compensa. Além disso, não há dúvidas de que seu salário tende a aumentar ao final da graduação.

De qualquer maneira, seria bom ter R$6.000 a mais no final da faculdade, certo?

E se eu te dissesse que isso é possível e você não terá que se privar de nenhuma festa ou ida ao bar com os amigos?

Essa técnica “secreta” é amplamente divulgada nos EUA, porém pouco comentada no Brasil. Alguns adeptos mais fervorosos chegaram até mesmo a se aposentar por meio dela. 

Seu nome? Short Coffee.

Nesse artigo você irá aprender sobre:

  • Os grandes gastos estão nas pequenas coisas;
  • O poder dos juros compostos;
  • Sim, o tempo passa, queira você ou não.

1 – Os grandes gastos estão nas pequenas coisas

“São só R$1,50. Não é isso que vai me deixar mais pobre!”

Troque R$1,50 por qualquer valor relativamente pequeno e você encontrará a frase mais dita pelas pessoas mais pobres.

E esse é um dos erros mais graves para quem pretende ganhar a liberdade financeira ou ao menos economizar algum dinheiro.

Por quê? Simples. 

Como essa ideia prevalece no nosso pensamento, tendemos a utilizá-la com muito mais frequência. As grandes compras, no entanto, pesam mais na nossa consciência e são realizadas com menos frequência.

O parcelamento, por exemplo, segue rigorosamente esse raciocínio. 

Uma televisão de R$1000,00 provavelmente seria algo que você não compraria à vista, certo? E se, no entanto, essa televisão fosse parcelada em apenas R$100,00 por mês durante 10 meses? Aí, então, as coisas simplesmente mudam de perspectiva e a compra torna-se mais aceitável.

Verifique seu orçamento. Posso te garantir que a maior parte dos seus gastos concentra-se nas pequenas coisas, como lanches e cafézinhos. 

E sabe qual o lado bom de constatar isso? Os pequenos gastos são os mais fáceis de serem cortados. 

Normalmente eles não representam algo essencial na nossa vida e a felicidade que eles compram é apenas imediata. 

Pense no cafézinho de todo dia. Você seria mais infeliz se não o tomasse? Ou se, pelo menos, cortasse pela metade? Tenho certeza que não.

Ainda não está convencido de que é melhor economizar nas pequenas coisas?

Essa técnica certamente fará você mudar de ideia.

Short Coffee

Essa técnica dá um exemplo da bola de neve que é formada ao se economizar em pequenas coisas, como um café, e investir esse dinheiro durante alguns anos (lembre-se, o tempo passa, queira você ou não).

Uma das coisas que mais fazemos na faculdade é tomar aquele cafézinho para continuar acordado durante as maravilhosas aulas. No entanto, ignoramos completamente o quanto gastamos com ele, já que costuma ser algo bem barato. 

Será mesmo?

Vamos ao exemplo:

  • 1 cafézinho = R$1,50 (olha que eu estou jogando pra baixo)
  • Média de 2 cafés por dia = R$3,00/dia
  • Considerando os 5 dias úteis da semana = R$ 15,00/semana
  • Em 1 mês = R$ 60,00/mês
  • Em um ano = R$ 720/ano

Parece pouco?

Não se você souber investir.

Considerando um rendimento médio de 1,53% ao mês (você consegue tranquilamente esse rendimento aplicando em fundos de multimercado, por exemplo) e que mensalmente você depositasse os R$ 60,00 que conseguiu economizar, ao longo de 4 anos de faculdade você já teria a quantia de R$ 4200,00

Caso sua faculdade dure 5 anos, o valor poderá chegar a R$5830,00. 

Ainda não te convenci? 

Então veja o que você poderia comprar hoje apenas com o dinheiro do cafézinho:

IPhone 7 (e ainda sobraria dinheiro para umas 30 capinhas)

economizar

Moto 0 km

economizar

Viagem All Inclusive para Cancún

economizar

E se você repetir umas matérias na faculdade ainda conseguirá levar um amigo!

E aí, ainda está com tanta vontade de beber café?

 

2 – O poder dos juros compostos

Se você chegou nessa parte do texto, provavelmente ficou intrigado sobre como uma economia de R$720 ao ano tornou-se R$5830 após 5 anos.

A conta, teoricamente, não bate, já que R$720 x 5 = R$ 3600, um valor bem abaixo dos quase seis mil reais ditos acima.

É aí que entra a mágica dos juros compostos.

Como funcionam os juros compostos? (Se já sabe como é, pule essa parte)

Investir significa, basicamente, que você irá aplicar uma certa quantia de dinheiro e receberá um rendimento por ela após algum tempo. 

Esse rendimento é conhecido como juros

O que determinará quanto você irá receber de rendimento sobre seu investimento é a taxa de juros.

Exemplo:

João decidiu investir R$500 durante 1 ano. A taxa de juros paga em seu investimento era de 20% a.a. (isso significa ao ano). 

Após um ano, a quantia que João tem investida é de:

R$500 x (100 + taxa de juros)/100 Ps: Adicionamos o “100” à taxa de juros pois ele representa o valor inicial (100%). Se não adicionarmos o 100, calcularemos apenas o rendimento que João teve.

R$500 x 1,2 = R$600

Logo, o rendimento de João foi de R$600 — R$500 = R$100

Como João é esperto, ele decidiu reinvestir todo o rendimento da aplicação.

Após um ano, o valor de seu investimento era:

R$600 x 1,2 = R$720

Logo, o rendimento de João foi de R$720- R$600 = R$120

Percebe que o rendimento de João aumentou? Antes era R$100 e agora foi R$120. Isso se deve aos juros compostos.

Basicamente, reinvestir seu rendimento fará com que o próximo rendimento seja maior ainda. Graças ao juros compostos, claro.

A Mágica

Até aí você só aprendeu algumas contas simples. 

Agora vem a mágica.

Eu poderia ficar falando mil coisas sobre como os juros compostos fazem você ficar rico sem ter nenhum trabalho. No entanto, prefiro apenas mostrar essa tabela.

juros compostos

Se seu avô tivesse investido R$1000 para você quando tinha 20 anos, provavelmente você seria um bilionário hoje.

 

3 – Sim, o tempo passa, queira você ou não

Costumo dizer que um dos maiores problemas do brasileiro é a falta de visão de longo prazo.

O brasileiro quer resultados agora. E, claro, isso nos levou a eleger governantes com o mesmo pensamento.

A consequência disso é a criação de leis estúpidas para resolver problemas não tão simples.

Por exemplo, a lei que obriga famílias a adotarem animais de rua. Aparentemente, alguns políticos acreditam que vivemos em uma utopia onde maus tratos não existem e todos os animais serão bem acolhidos. 

Ou a Lei Municipal 1840/95 (Barra do Garças, MT) que prevê a construção de um “aeroporto” para alienígenas. Uma prioridade, certamente.

Esse pensamento não é prejudicial somente na esfera política. 

Ignorar o fato de que o tempo passa, queira você ou não, te faz mais pobre, diariamente.

Investir R$1000 hoje não te fará rico amanhã. Porém, daqui a 30 anos, você poderá ter R$237.000,00. E, querendo ou não, o tempo passa. Um dia (caso não haja nenhum imprevisto no caminho) você estará na casa dos 50, 60 ou 70 anos. 

É melhor chegar lá com R$237.000 do que sem nada.

Resumo

  • O jeito mais fácil de economizar é nas pequenas coisas
  • Todo centavo importa
  • Os juros compostos te deixarão milionário com o tempo
  • O tempo passa e você escolhe se prefere que isso te deixe mais rico ou não