Você sabe qual é a melhor maneira de se locomover? Uber ou carro? Qual é o melhor para você? Como economizar no transporte sem perder qualidade de vida?

O fato é que a evolução tecnológica vem para melhorar as nossas vidas. Cada vez mais o mundo se torna compartilhado e mais pessoas interagem entre si.

Nos últimos tempos muitas mudanças aconteceram e novos negócios mudaram completamente a maneira de se relacionar como o Facebook e o Twitter. Mas nenhuma certamente foi tão polêmica aqui no Brasil, quanto o Uber.

Diversas brigas foram(são) travadas na justiça e nas ruas para tentar impedir a evolução do transporte urbano.

Mas não estamos aqui pra discutir o que é certo ou errado. Precisamos debater como você pode se aproveitar disso e o que afeta o SEU bolso.

Qual é a melhor maneira de se locomover pela cidade?

O que vale mais a pena: andar de carro ou andar de uber?

E se você não tem um carro? Comprar um carro ou andar de uber? Se decidir comprar: à vista ou financiado? Pegar carona com aquele colega da empresa/faculdade ou andar de uber?

Vamos descobrir agora qual é a melhor opção!

Nesse artigo você vai aprender sobre:

  • O que é melhor: carro, uber, bike ou carona?
  • Comparando os meios de transporte privados: quando é melhor ter um carro?
  • Qualidade de vida no transporte: stress e produtividade
  • Crie sua comparação pessoal e descubra o que é melhor para você

O que é melhor: carro, uber, bike ou carona?

Com certeza você já se fez essa pergunta. Se não, alguma parecida com ela. De fato, são tantas opções de transporte e cada uma tem tantas influências que fica difícil ter uma resposta clara, de primeira.

Enquanto o carro parece te proporcionar mais conforto e liberdade em troca de um custo maior, o uber e a carona parecem resolver o problema do custo.

Já a bicicleta, pode ser o modo mais barato de transporte, mas possui limitações.

O Carro

Meu sonho é ter um carrão. A primeira coisa que vou fazer quando tiver dinheiro é comprar um carro.

Ou ainda:

Estou economizando pra comprar um carro. Vai ser meu primeiro investimento.

Durante muito tempo esse foi(é) o pensamento da maioria dos brasileiros. Todos sonhavam em ter um carro e poder gozar de qualidade de vida e status social.

Nada de errado em querer ter uma vida melhor, se o carro te proporcionar isso. Mas será que ele realmente te proporciona isso?

Em primeiro lugar, carro não é um investimento. E isso é muito simples de perceber (desculpa se você ainda não percebeu, mas é verdade).

Acontece que investimento significa: “utilização de capital em determinado negócio ou empresa visando à obtenção de lucros.”

Isso quer dizer que, se você gasta determinado valor para obter alguma coisa e, quando se desfaz dela, recebe menos do que você gastou, esse é um péssimo investimento. E muitas vezes nem investimento é.

Esse é o caso do carro.

A menos que você trabalhe revendendo carros e ganhe dinheiro fazendo isso ou seja motorista e afins, desculpe te informar, mas o carro não é um investimento para você.

O carro é uma compra.

Ninguém vai ao shopping, por exemplo, e sai de lá dizendo: “nossa, olha só o investimento que eu fiz, comprei uma roupa linda.”

Aqui é a mesma coisa. Por mais que você vá obter algum benefício usando a roupa ou o carro, eles não são investimentos.

E ainda que fossem, um carro seria um investimento muito pior do que uma roupa. Isso porque, depois que você compra uma roupa quase não tem gastos adicionais.

Já no carro… IPVA, seguro, manutenção, gasolina, revisão… A lista é enorme. Mas tem um item dessa lista que muita gente nem lembra ou só lembra quando vai vender o carro: a depreciação.

Depreciação nada mais é do que a redução do valor de alguma coisa conforme o tempo passa.

Se você comprar um carro hoje por R$50.000 e quiser vender daqui a 1 ano, ele vai estar valendo apenas R$41.000. Ou seja, em um ano apenas houve uma desvalorização de 18%. Você perdeu R$9.000 apenas porque o tempo passou!

A depreciação pode chegar até 23% ao ano em carros zero km.

Acho que agora ficou mais claro porque carro não é investimento, né?

Uber

O Uber adicionou várias vantagens à locomoção no trânsito. Aumentou o conforto, a qualidade e a segurança do transporte e reduziu o preço.

Fez com que as pessoas considerassem vender seus carros e passarem a depender apenas do aplicativo, tamanha pode ser diferença do custo entre ter um carro próprio e utilizar esse serviço.

Mas é claro que o Uber ainda não é a melhor solução para o transporte urbano, nem mesmo financeiramente.

Se você precisar se locomover bastante durante a semana, percorrer grandes distâncias ou até mesmo viajar, o carro próprio ainda pode ser a melhor solução.

Além disso, um outro ponto que pode transformar o Uber em uma dor de cabeça de tempo e dinheiro é se você utiliza muito o transporte nos horários de pico.

Se você precisa ir e voltar para o trabalho na hora do rush ou sair à noite aos finais de semana, a tarifa dinâmica do Uber é sua principal inimiga. Ela pode inviabilizar o uso do aplicativo, tornando-o mais caro que um táxi, como aconteceu comigo.

Voltando de uma festa de madrugada, a tarifa dinâmica do Uber estava fazendo com que uma corrida da Lapa até Icaraí custasse R$155.

20 km por R$155. Um absurdo!

Bike

O meio mais antigo de transporte que citamos, a bicicleta é sem dúvida o mais econômico também. Por isso, ela pode ser uma ótima maneira de ir para o trabalho ou faculdade.

É claro que ninguém vai atravessar a cidade e percorrer 15, 20 ou 30 km de bicicleta para chegar aonde quer. É inviável, pois você vai chegar ao seu destino cansado e suado, além de ser demorado.

Mas se sua casa fica a 5 km do seu trabalho ou da faculdade pode ser uma ótima opção. Inclusive, com o trânsito caótico de hoje em dia, é até mais rápido você ir de bicicleta do que de carro. Sem contar o stress que é enfrentar o trânsito.

Agora, se você percorre mais que 5–7 km e conhece alguém que faz sempre o mesmo caminho que você, a melhor opção pode ser pegar uma carona e rachar os gastos.

Vai sair mais barato que o Uber, você vai ter alguém pra conversar durante o caminho e não precisará se estressar com o trânsito!

O fato é que não existe a melhor opção para todos. Não é como uma verdade absoluta ou uma regra. Tudo vai depender de quais são as suas necessidades, pois cada um desses meios é influenciado pelo modo que você os utiliza.

Por isso, montamos alguns cenários de maneira que tornasse possível fazer essa comparação valer para um grande número de pessoas. Mas não se preocupe.

Caso suas necessidades não apareçam em nosso comparativo, você será capaz de fazer seus próprios cálculos usando a planilha no final deste artigo.

Comparando os meios de transporte privados: quando é melhor ter um carro?

Se você já possui seu carro e quer saber se vale a pena continuar com ele ou passar a usar o Uber pra se locomover, deve levar em conta 4 fatores principais:

  1. Você usa o carro durante a semana para trabalhar ou ir à faculdade?
  2. Quantos km você roda por dia?
  3. Quantas vezes você pegaria Uber por dia, caso não tivesse um carro?
  4. Você usa o carro para viajar?

Esses 4 fatores serão os principais responsáveis para dizer o que vale mais a pena, usar o carro ou pegar um Uber. Sendo assim, dividimos em 2 casos: quem usa o carro para viajar e quem não usa o carro para viajar.

É importante destacar que consideramos o mesmo carro em todos os casos para poder fazer a comparação de maneira correta. As estimativas foram:

  • Valor do carro: R$55.000
  • Seguro contra terceiros apenas: R$1069,44 anual(o cara se garante no volante)
  • IPVA: R$2200 por ano(4% do valor do veículo)
  • Gastos com estacionamento no trabalho ou faculdade: R$300 por mês
  • Manutenção: R$30 por mês (raramente há algum gasto de manutenção num carro novo, mas o mínimo que você deveria fazer para cuidar bem dele é lavá-lo uma vez ao mês)
  • Revisão: R$1100 anualmente
  • Consumo: 10 km/L na cidade
  • Gasolina: R$3,90 o litro
  • Depreciação anual do carro: 8% (como você já possui o carro a depreciação é menor que a do carro 0 km)
  • Seguro obrigatório e licenciamento: R$172

Primeiro caso: Já possui um carro e não usa para viajar

Assim, consideramos as seguintes respostas para as perguntas:

  1. Você usa o carro durante a semana para trabalhar ou ir à faculdade? Sim
  2. Quantos km você roda por dia? 20 km ida e volta
  3. Quantas vezes você pegaria Uber por dia, caso não tivesse um carro? 2
  4. Você usa o carro para viajar? Não

Dessa forma, uma pessoa que usa o carro durante a semana, utilizaria-o 22 vezes ao mês. Estimamos também que para percorrer 10 km seriam necessários, em média 25 minutos.

Com isso, chegamos a um gasto anual de R$14.960 para ter um carro, enquanto no Uber o gasto seria de R$11.088.

Mas não é só isso. Como você é um leitor do nosso blog, sabe a importância de investir seu dinheiro e não deixar ele parado.

Imagina quanto você poderia ganhar se ao invés de gastar esse dinheiro com transporte, aplicasse-o em renda fixa? Nós fizemos essa conta!

Nesse caso, os gastos totais anuais seriam R$15.811 e R$11.718, respectivamente.

A diferença é de R$4.093 por ano ou R$341 por mês. Será que R$4.000 a mais fariam diferença pra você?

Nesse cenário, ter um carro só passa a valer a pena financeiramente se você rodar pelo menos 37 km por dia.

Segundo caso: Já possui um carro e usa para viajar

Para o segundo caso, valem as seguintes perguntas e respostas:

  1. Você usa o carro durante a semana para trabalhar ou ir à faculdade? Sim
  2. Quantos km você roda por dia? 20 km ida e volta
  3. Quantas vezes você pegaria Uber por dia, caso não tivesse um carro? 2
  4. Você usa o carro para viajar? Sim, 2 vezes por mês.
  5. Quantos dias você passa viajando? 3 (finais de semana)
  6. Qual o consumo do carro na estrada? 15 km/L
  7. Qual a distância percorrida na viagem? 450 km (ida e volta)

Como a pessoa viaja e não valeria a penar pegar um Uber para percorrer uma distância tão grande, a opção seria alugar um carro. Por isso, fizemos algumas cotações em empresas de aluguel de veículos. Esse gasto ficaria por volta de R$100 a diária.

Para este segundo caso, chegamos a um gasto total anualizado de R$19.920 para o carro e R$22.296 para o Uber. Dessa vez, o carro é mais vantajoso por R$2.376 ao ano.

Terceiro caso: Comprar um carro, mas não usá-lo para viajar

Aqui, valem as mesmas perguntas do primeiro caso e a necessidade de saber como será feita a compra do carro: à vista ou parcelada.

Para uma compra à vista, consideramos 10% de desconto do valor do automóvel.

Já para o financiamento, consideramos uma entrada de R$16.000 e o restante em um pagamento de 60 parcelas, com juros de 2,8% ao mês. (Todas essas estimativas são de valores reais do mercado).

Como dessa vez estamos tratando da compra de um carro, os valores gastos para isso serão bem maiores do que os anteriores, pois eles não levavam em consideração a quantia gasta no passado para adquirir o carro.

Nessas condições, se você comprar um carro à vista seu gasto final anual chega a R$69.845. Já na compra parcelada, o gasto chega a R$37.910.

Peraí.. Então é mais barato parcelar um carro do que comprar à vista?!

Claro que não! Acontece que estamos levando em conta apenas os gastos do primeiro ano da compra do carro.

Lembre-se que aqui, estamos parcelando em 60 vezes ou 5 anos. Ao final desse prazo, você vai ter pagado R$97.000 por um carro que custava R$55.000 ou R$49.500 pra quem pagou à vista. Quase o dobro do preço!

De um jeito ou de outro, esses valores são bem maiores do que os R$11.718 anuais do Uber. A diferença chega a R$58.127 ao ano.

Quarto caso: Comprar um carro e usá-lo para viajar

Pensa em comprar um carro e usá-lo para viajar? Não tem problema! Fizemos esses cálculos também.

Os gastos aumentam em relação ao caso anterior, pois agora você tem além daquelas despesas os gastos com a viagem. Aí, os gastos totais anuais chegam a R$75.498 para compra à vista e R$42.720 para a compra parcelada.

Apesar desse aumento a diferença para o Uber diminui, já que seus gastos com viagens e aluguéis praticamente dobram o valor de R$11.718 para R$22.545.

Uma diferença de R$52.952 para pagamento à vista e R$20.175 para pagamento parcelado.

Quinto caso: Ter um carro e dividir durante a semana, mas não usá-lo para viajar

Já que você usa o carro cotidianamente, deve conhecer alguém que faz o mesmo trajeto todos os dias. E se você desse carona para essa pessoa todos os dias e pedisse um trocado para ajudar nas despesas com o carro.

Muita gente faz isso, afinal, é uma oportunidade de ganho para os dois lados. Quem tem o carro reduz seus custos e quem não tem ganha conforto e rapidez, por um preço um pouco acima do transporte público e mais barato do que um UberX ou, dependendo, um UberPool.

Nessa comparação, colocamos apenas 1 amigo para dividir os gastos e um valor de R$10 para ida e volta como ajuda pela carona.

Com isso, os gastos reduziram de R$15.811 (do primeiro caso) para R$13.021.

Mesmo assim o Uber ainda compensa, já que nele você gastaria R$11.718. Porém, se ao invés dos 20 km que consideramos você percorrer 26 km por dia, o carro passa a ser mais econômico.

Sexto caso: Ter um carro, dividir durante a semana e usá-lo para viajar sozinho

Assim como no segundo caso quando o carro era mais econômico para viagens, aqui ele será mais econômico ainda, já que você possui alguém para te ajudar no dia a dia.

Nesse formato a diferença é de R$5.165 por ano, com economia para utilizar o carro.

Sétimo caso: Comprar um carro e dividir durante a semana

Da mesma forma que ocorre no terceiro e no quarto caso, andar de Uber é bem mais vantajoso do que comprar um carro, seja para viajar ou não. O benefício de ter alguém para rachar os custos diários não supera as elevadas despesas da compra.

Por curiosidade fizemos a conta, que resultou numa diferença de R$55.476 para compra à vista e R$23.540 para a parcelada. Se você for um viajante as diferenças são: R$49.000 e R$17.072, respectivamente.

Último caso: Pegar carona x Uber x Bike

E se você decidiu não comprar um carro, o que vale mais a pena? Pensando nisso resolvemos comparar carona, bike e Uber.

As principais perguntas aqui são:

  1. Quanto custa a carona?
  2. Qual o valor da bicicleta?
  3. Quantos km você roda por dia?

Admitimos que você gaste R$10 por ida e volta, percorrendo os mesmos 20 km. Afinal, foi o valor que supomos cobrar pela carona. Pense no outro lado. Não seria justo querer pagar menos, né?

Nesse valor, a carona chega a ser R$8.928 mais barata que o Uber. Uma economia de R$744 por mês.

Já na comparação com a bicicleta, consideramos uma bike no valor de R$700 e gastos de R$10 por mês com manutenção e imprevistos (quem nunca teve um pneu furado?!).

Dessa forma, a bicicleta é R$1923 mais barata que a carona e chega a R$7.224 de economia, se comparada ao Uber.

Mas como falamos no início desse artigo, é complicado andar mais de 10 km por dia de bicicleta. Por isso, nem sempre levá-la em consideração.

Qualidade de vida no transporte: stress e produtividade

Nem tudo é apenas o lado financeiro. Existem outros fatores que devem ser considerados ao escolher o meio de transporte.

Um carro certamente pode te dar mais qualidade de vida caso reduza bastante o tempo que você demora para se locomover ou se você tem que enfrentar o trânsito várias vezes ao dia.

Já o Uber e a carona te permitem evitar o stress do trânsito e usá-lo de maneira útil. Como você não está dirigindo pode usar esse tempo para coisas úteis como ler ou adiantar um trabalho no laptop.

Se você passa bastante tempo no trânsito, não dirigir pode, dessa maneira, aumentar bastante a sua produtividade, além de reduzir o stress.

Crie sua comparação pessoal e descubra o que é melhor para você

Como falamos, não é possível ter uma resposta exata para todos os casos. A melhor maneira de comparar o que vale mais a pena para você é fazendo a sua própria comparação, com os seus valores de gastos.

Por isso, disponibilizamos a planilha que usamos para que você possa fazer suas comparações pessoais e descobrir o que é melhor para você.

Caso tenha alguma dúvida ou sugestão para acrescentar, deixe seu comentário.

Descobriu o que é melhor para você? Conta pra gente!

Descubra os segredos dos maiores investidores. Se inscreve aí