Quinta-feira, 27 de junho.

As ações da Unipar Carbocloro (UNIP3, UNIP5 e UNIP6), empresa fabricante de cloro, derivados e soda cáustica, estão agendadas para entrar em leilão no dia seguinte, sexta-feira.

O motivo? Uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) movida pelo seu controlador, a Vila Velha S.A. (administradora da família Geyer).

O intuito dessa oferta é fechar o capital da Unipar — em bom português, retirar as ações de negociação da bolsa de valores.

Para isso, a Vila Velha S.A. se oferece para comprar as ações dos demais acionistas por um determinado preço. Nesse caso, foi oferecido R$7,50 por ação.

Nessa situação, diversas pessoas que tinham investido nas ações da empresa ficaram em dúvida sobre como deveriam proceder e algumas até acreditaram no mito de que poderiam perder todo o dinheiro investido.

Se você é um deles, fique tranquilo, as notícias são boas.

Nós desmistificamos completamente a Oferta Pública de Ações (OPA) para fechamento de capital.

Nesse artigo você irá aprender sobre:

  • Como funciona uma OPA para fechamento de capital
  • Quais são suas opções e como você deve agir
  • O que você deve esperar?

Como funciona uma OPA para fechamento de capital

Esse tipo de oferta pública de aquisição acontece quando o controlador da empresa ou a própria empresa (chamado de ofertante) decide fechar o capital da companhia.

Como seria injusto forçar os demais acionistas a serem sócios de uma empresa de capital fechado (que não negocia na bolsa, dificultando a venda de suas ações), o controlador ou a empresa é obrigado a se oferecer para comprar essas ações (daí o nome ofertante), permitindo que os investidores se desliguem da empresa.

Além disso, no intuito de garantir que os investidores recebam um preço justo pelas suas ações, uma empresa (em geral, banco) é contratada para elaborar um laudo de avaliação da companhia, indicando o valor justo de cada ação.

Após isso, o ofertante deve escolher um valor igual ou maior que o da avaliação (no caso da Unipar, foi escolhido R$7,50).

Uma exceção é quando a empresa fez um aumento de capital (ofereceu novas ações ao mercado) e menos de 1 ano depois decide fazer um OPA para fechar o capital. Nesse caso, o preço oferecido deve ser no mínimo igual ao que ela recebeu por ação quando fez o aumento.

Quais são suas opções

Os acionistas podem, então, seguir 5 opções distintas:

  • Se abster, simplesmente não informando à corretora que deseja participar do leilão de OPA;
  • Aceitar a oferta, informando à corretora que deseja participar do leilão e irá aceitar um preço inferior ou igual ao que é ofertado (no caso, R$7,50);
  • Não aceitar a oferta, informando à corretora que quer participar do leilão, porém só aceitará vender a ação por um preço superior ao ofertado (ex.: aceitar vender por R$30, sendo que o ofertado é R$7,50);
  • Aceitar o fechamento de capital, informando à corretora expressamente que deseja continuar com as ações da companhia e concorda com o fechamento;
  • Reunir uma assembleia com acionistas que juntos detenham mais de 10% das ações em circulação no mercado para realizar uma nova avaliação da companhia. O requerimento para essa nova avaliação deve ser enviado até 15 dias após o anúncio do OPA, contendo os questionamentos ao método antigo e o novo laudo. Caso o preço da nova avaliação acabe sendo igual ou inferior ao do OPA, esses acionistas deverão arcar com todos os custos da assembleia. Caso o preço seja maior, o ofertante pode desistir da OPA ou seguir o novo valor.

O que pode acontecer

2 coisas que podem acontecer

  • Caso os acionistas que aceitaram o preço da oferta ou o fechamento do capital tenham mais de 2/3 das ações em circulação (os que se abstiveram, os controladores e a tesouraria são desconsiderados nesse cálculo), a OPA é bem sucedida. Se você optou por não vender as ações, se tornará sócio de uma empresa fechada (sem ações negociadas na bolsa) ou poderá vendê-las pelo preço do OPA.
  • Caso as ações que sobraram no mercado sejam correspondentes a menos de 5% das emitidas pela companhia, ela pode decidir resgatar essas ações, pagando o preço do OPA por elas.

Ex: No caso da Unipar, ela poderia resgatar as ações que sobraram pagando R$7,50 por elas.

Conclusão

Não há porque ter medo de perder dinheiro caso a empresa da qual você possui ações decida fechar o capital e sair da bolsa de valores.

Na pior das hipóteses, a companhia oferecerá na OPA um preço inferior ao das ações no mercado, como é o caso da Unipar (a Vila Velha S.A. ofereceu R$7,50 por ação, sendo o preço de mercado R$13,40 na data de hoje).

Mesmo nesse caso, você não deve se preocupar tanto. Não há sentido para os acionistas aceitar vender suas ações por um preço menor do que ele conseguiria vendendo na bolsa de valores.

Dessa forma, a tendência é que a OPA não se concretize.

Ainda tem alguma dúvida? Deixe sua pergunta nos comentários que nós responderemos o quanto antes.

Quer receber os melhores insights sobre investimentos? Se inscreve aí